terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Porque eu acho que você não devia ficar com um cara comprometido

Não. Esse não é um texto puritano, nem mesmo uma lição de moral. Longe de mim. 
Longe de mim também usar o senso comum. Cruzes. Rezo todos os dias para ser capaz de produzir minha própria opinião e graças, o meu pedido vem sendo atendido. 
Mas vale alertar que esse texto pode causar um certo incômodo. Talvez por algumas palavras de baixo calão, ou pelo pensamento fora do padrão. Mas seja como for, esteja a vontade para abandonar a leitura agora mesmo ou seguir até o fim. 

Quando a gente fala em ficar com um cara comprometido a gente ouve sempre os mesmos discursos ultrapassados. 

"Aquela lá é uma piranha. Deu em cima do cara. Acabou com uma família."

Ultimamente, até que temos ouvido bastante: 

"Ah, mas se ela sabia tá errada também. Porque devia ter ficado longe. Se ele não respeita a namorada, ela deve respeitar. Onde fica a sororidade?" 

Esse é um argumento muito utilizado por feministas. Nada contra, inclusive sou. Esse discurso seria muito lindo se não fosse tão semelhante ao primeiro. Mais uma vez tiramos a culpa do homem e colocamos toda a responsabilidade na mulher. Nenhuma novidade nessa vida. Ela, a mulher, deve respeitar o relacionamento que nem ele, o comprometido, respeita. PQP. Se o cara não respeita a namorada, porque as outras minas, que talvez nem a conheçam ou que não vão com a cara da dita cuja devem respeitar? Me poupe! Nos poupe! 

Utilizar esse argumento além de ser ridículo (tamanha semelhança com o primeiro discurso) também é cruel. Porque não podemos esquecer que muitas amantes também vivem uma relação abusiva. Ah não? Ah tá, só a corna agora que é enganada e manipulada. Cês tão olhando novela demais. 

O único motivo pelo qual eu acho que você não deve ficar com um cara comprometido é porque as chances de você se machucar são infinitas. E na certa que você será provavelmente a pessoa mais ferrada na situação. A chance do casal de pombinhos se unir contra você é gigantesca. 

Pensa comigo. Se o cara não respeita nem a namorada, aquela com quem ele posa em todas as fotos, apresenta pros amigos, dorme de conchinha e leva no churrasco de família, porque diabos ele respeitaria você, que apenas trepa com ele de vez em quando? 

"Ah, mas comigo é diferente!" Miga, se tem uma coisa que eu aprendi nessas andanças é que se um homem trata mal/trai todas as outras mulheres, você não é a exceção, você é a próxima. 

Quando você foge de uma encrenca dessas, você não tá salvando um namoro, um casamento, não tá protegendo a namorada. Cê tá é fazendo um favor para você mesma. 

Já ouvi muito o discurso "fulana devia me agradecer. Se não é corna é porque eu não quis." Amiga, deixa eu te contar a verdade. Fulana é corna. E como é corna. Com a sua ajuda e sem a sua ajuda. Cê acha mesmo que ele precisava de você? Ô mulher, não fosse você seria outra. Você só fez um favor para você mesma fugindo de um embuste desses. Cê fica se achando muito especial, porque ele sempre te procura. Sabe porque ele sempre te chama anta? Porque tu é trouxa e vai correndo. 

Favor pra ela, seria se ela descobrisse, que daí podia pular fora dessa fria. Mas como a chance dela ficar do seu lado é muito pequena, torcemos apenas para que a vida mostre a ela. E assim, quando ele estiver com outra e procurar por ela, a dita cuja vai perceber que a vida não tira nada da gente. Ela nos livra. 

E é por isso, e somente por isso, que eu acho que você não devia ficar com um cara comprometido. Porque a chance de você sair fudida e mal comida é enorme. Agora se você não sente nada (NADA MESMO) pelo cara, vai lá. Vai em paz. Só nunca, em hipótese alguma, se apaixone. 



Gislaine Oliveira gosta de pensar fora da caixa. Metade das pessoas a odeiam por isso. A outra metade, quase nunca entende o que ela pensa. E ela também se inclui nesta lista de vez em quando. Mas tudo bem. Gislaine não tá nessa vida pra ser entendida. É aquela história, quem faz sentido é soldado. A gente só tá nessa vida pra gerar a dúvida, a pergunta. A resposta, cada um encontra a sua. 

Um comentário:

  1. Depois que passei dos 25 e continuei solteira de repente passei a receber propostas - vez em quando - de homens comprometidos. Parece que eles acham que ser solteira é sinônimo de carência e para da umazinha a gente topa tudo... Os embustes que me apareceram faziam o tipo "pai de família" com filhos pequenos cujas mulheres estão mais centradas na maternidade, eles poderiam se envolver na paternidade mas preferem ir ali atrás de alguém com cara de besta para usar um pouquinho... depois volta para a mulher cheio de dividas morais... Adorei o texto Gi!

    ResponderExcluir